Biodiesel avança nos Estados Unidos: um bom exemplo para o Brasil

por Erasmo Carlos Battistella

Os Estados Unidos avançam rapidamente em seu projeto de mudança da matriz energética e para a adoção dos biocombustíveis como alternativa à substituição ao diesel fóssil. Importante olharmos essas informações como estímulo a não perdermos o passo aqui no Brasil.

Em fevereiro de 2021, o governador de Iowa, Kim Reynolds, apresentou um projeto de lei para definir um padrão mínimo de biocombustíveis no abastecimento de combustível do estado. Para o biodiesel, isso significaria que a maior parte do diesel de Iowa conteria pelo menos 11 por cento do produto (B11) durante os meses mais quentes, começando em abril de 2022, e B20 durante os meses mais quentes em 2024 e depois.

Iowa promulgou algumas das políticas estaduais de biodiesel mais abrangentes do país para ajudar a tornar o biodiesel mais disponível e acessível para os consumidores. Essas políticas estaduais de biodiesel incluem as seguintes propostas:

  • Crédito para Varejistas de Biodiesel: Os varejistas que transportam 5% de biodiesel (B5) podem reivindicar um incentivo de 3,5 centavos por galão. Os varejistas que transportam B11 ou superior podem reivindicar um incentivo de 5,5 centavos por galão.
  • B11 – diferencial do imposto sobre o combustível: Um diferencial de 3 centavos no imposto sobre o combustível para misturas de 11% ou mais.
  • Crédito de Produção de Biodiesel: Um incentivo de 2 centavos por galão para estimular a produção no estado.
  • Programa de Infraestrutura de Combustíveis Renováveis: US$ 3 milhões anuais para biodiesel e etanol, para ajudar a atualizar os equipamentos de petróleo para aumentar a disponibilidade de combustível renovável em Iowa.

Essas políticas estaduais fortes colocam o Iowa em posição de liderança em biocombustíveis nos Estados Unidos.

Pionerismo de Minesota

Minesota foi o primeiro estado americano a exigir que praticamente todo o diesel vendido durante os meses de clima quente contivesse uma mistura de 20% de biodiesel. Durante os meses de inverno, a mistura fica em 5% de biodiesel.

Naquele estado, o biodiesel substitui cerca de 130 milhões de galões de diesel de petróleo. Isso é especialmente importante para os veículos mais antigos que não possuem os dispositivos de controle de poluição agora necessários para todos os veículos a diesel vendidos nos Estados Unidos.

60.000 empregos

A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos declarou o biodiesel como o primeiro biocombustível avançado da indústria. A indústria de biodiesel agora sustenta quase em todo o país e mais de 5.000 empregos somente em Minesota, e contribui com quase US$ 1,7 bilhão para as atividades econômicas no estado. Também aumenta a demanda por soja em cerca de 13%. Minesota apoia fábricas de biodiesel em Albert Lea, Brewster e Isanti, que produzem aproximadamente 85 milhões de galões do combustível renovável a cada ano.

Dados de estudo recente da Minnesota Soybean Research & Promotional Council (um conselho de produtores de soja do estado americano) indicaram os seguintes aspectos positivos da adoção do biodiesel:

  • Respirando fácil: Em 2020, o uso de uma mistura de 20% de biodiesel no verão e uma mistura de 5% de biodiesel no inverno removeu cerca de 1.252.967 toneladas de CO2 do ar. Isso é como remover as emissões de quase 246.000 veículos de passageiros a cada ano.
  • Capturando carbono: Usar fontes de combustível baseadas em plantas, como a soja, significa não apenas que os combustíveis renováveis emitam menos carbono e outras emissões prejudiciais, mas durante o crescimento, as plantas capturam carbono. Essa é uma combinação potente para a compensação de emissão carbono.
  • Impulsionando a economia: Para cada 1 milhão de galões de produção, o biodiesel contribui com US$ 22,8 milhões na produção econômica total em todo o estado e sustenta 73 empregos. Como um todo, o impacto econômico total do biodiesel é de cerca de US$ 1,7 bilhão por ano e a indústria sustenta cerca de 5.400 empregos em Minesota.

Confira aqui a campanha lançada pela MSR & PC que destaca os “superpoderes” do biodiesel.

Abaixo, alguns depoimentos relevantes que mostram a importância da evolução do setor nos Estados Unidos:

“A American Lung Association reconhece o biodiesel como um combustível alternativo Clean Air Choice por sua capacidade de reduzir os critérios e as emissões do ciclo de vida no setor de transporte.” Lisa Thurston, da American Lung Association, associação que promove ações de melhoria da saúde pulmonar e prevenir doenças pulmonares

“Com o debate em andamento sobre ‘carros limpos’ e veículos elétricos, sabemos que o biodiesel é uma solução confiável para lidar com as questões climáticas e energéticas. Está reduzindo o carbono bem aqui, agora. Durante este quarto ano de exigência da mistura de biodiesel B20, é importante lembrar as pessoas dos inúmeros benefícios que esse biocombustível avançado oferece para o nosso estado. Dos produtores de soja e do combustível renovável até os usuários finais, todos nós colhemos os benefícios do combustível menos intenso em carbono e que reduz os gases do efeito estufa.”Mike Youngerberg, Diretor Sênior de Desenvolvimento e Comercialização de Produto da MSR & PC, que também é diretor executivo do Conselho de Biodiesel de Minesota.

“Sempre soubemos que o biodiesel oferece uma alternativa melhor e mais limpa ao diesel de petróleo. Este estudo quantifica os benefícios para a saúde e mostra que, ao usar combustíveis renováveis como o biodiesel e o diesel renovável, estamos trazendo mudanças positivas para a vida das pessoas, a saúde do país e a economia.”Donnell Rehagen, CEO do Conselho Nacional de Biodiesel – National Biodiesel Board (NBB)

PESQUISA BEST (Bioenergy and Sustainable Technologies)

Os biocombustíveis já são, e continuarão a ser pelo menos até 2030, os principais protagonistas da redução das emissões de carbono no setor de transporte em diversos países, aponta estudo liderado pelo centro de pesquisa BEST (Bioenergy and Sustainable Technologies) apresentado no evento internacional “Biofuture Summit II e Brazilian Bionergy Science and Technology Conference”, organizado pelo Itamaraty e a Fapesp. Esse efeito positivo dos biocombustíveis sobre a emissão de gases deverá durar pelo menos até 2050 no Brasil.

Para atingir suas metas de redução de emissões de carbono no setor de transporte viário até 2050, os países terão que adotar várias medidas simultaneamente. Entre elas estão a redução da demanda por transporte viário, o aumento da eficiência dos veículos, a adição de biocombustíveis aos combustíveis fósseis, a adoção de eletricidade gerada por fontes renováveis e o uso de hidrogênio obtido a partir de fontes renováveis, como o etanol.

O estudo contou com a participação de 20 especialistas de sete países e se concentrou no impacto de combustíveis como etanol, metanol, álcoois superiores (butanol, por exemplo), éteres, biodiesel e metano. Também mediu o impacto da redução de hidrocarbonetos nos combustíveis vigentes.

Related Posts

Deixe um comentário