A evolução em ondas dos biocombustíveis

por Erasmo Carlos Battistella

Gostaria de compartilhar e reforçar alguns conceitos sobre biocombustíveis que são relevantes para a análise e discussão desse tipo de combustíveis na composição da matriz energética mais sustentável que os países tanto almejam.

Biocombustíveis são derivados de biomassa renovável que podem substituir, parcial ou totalmente, combustíveis derivados de petróleo e gás natural em motores a combustão ou em outro tipo de geração de energia.

Fonte sustentável e importante para a economia

O biodiesel é uma fonte de energia renovável, biodegradável e sustentável. Gera emprego e renda numa longa cadeia da agricultura e continua promovendo a economia em todas as etapas até a distribuição. Nos locais onde se desenvolve reduz a dependência da importação de combustível fóssil e acaba, como consequência, ampliando a produção de alimentos.

Biocombustíveis avançados

Quando tratamos de biocombustíveis, estamos vivendo o auge do que eu chamo de primeira onda, com o etanol e biodiesel como protagonistas. Nosso grupo empresarial anunciou recentemente um novo desafio que envolve o que há de mais avançado em biotecnologia, os produtos da segunda onda.

O HVO (sigla em inglês para Hydrotreated Vegetable Oil) e o SPK (Synthetic Paraffinic Kerosine, utilizado misturado ao querosene de aviação) fornecem soluções de sustentabilidade para um planeta que deve reduzir suas emissões de CO2 em todas as formas de transporte. Eles são biocombustíveis avançados e representam um passo importante na busca por um combustível sustentável para o mundo do século 21.

Novidade: o Naphtha Omega Green

Outra novidade na planta Omega Green é o Naphtha, produzido por hidrotratamento de gorduras e óleos (através da aplicação de hidrogênio e catalisadores). Tem uma densidade energética mais alta que o etanol, tornando-o adequado para ser usado na mistura de gasolina, mesmo em combustíveis especiais e de corrida.

Além de ser uma mais uma resposta à mobilidade urbana sustentável, também pode ser usado como matéria-prima para a produção de plástico verde, o que é uma informação muito importante para posicionar esse produto como uma solução no segmento de petroquímica.

Vamos detalhar esse cenário em artigos futuros

Como já disse vamos conduzir neste blog o debate sobre os biocombustíveis verdes, que ajudam muito a diminuir a emissão de poluição, contribuindo para a luta contra o aquecimento global. Vamos conhecer o que há de mais avançado em bioenergia para a construção de um mundo melhor e mais sustentável.

1 comentário

adelchi colnaghi 10 de julho de 2020 - 14:30

esclarecedor e informativo!

Reply

Deixe uma resposta para adelchi colnaghi Cancelar